segunda-feira, 29 de novembro de 2010

CRISTÃOS POSSUÍDOS

Baseado em Tiago 1:14-15, 4:2

Um cristão pode ser possuído?
SIM!
Leia o que ensina o Apóstolo Tiago em sua epístola no Cáp.1.14 "Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz."

Ora, o que difere um cristão seduzido pela sua própria cobiça, de uma pessoa possuída por espíritos demoníacos, é o fato de um ser possuído por fatores externos e o outro fatores internos. Um cristão possuído pela cobiça, fará coisas absurdas para realizar o desejo de sua carne, como Tiago também ensina em no cáp.4: 2-3 "Cobiçais e nada tendes; matais, e invejais, e nada podeis obter; viveis a lutar e a fazer guerras. Nada tendes, porque não pedis; pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres".
A resposta para este mundo ser como é não é o diabo, e sim a cobiça do homem.
Existem pessoas que já foram libertas dos espíritos demoníacos, mas ainda não se libertaram da cobiça, ainda cultivam a coragem de fazer o que for preciso para atender os prazeres de sua carne, seja através de um simples olhar cobiçoso para a mulher do próximo, ou "manobras" profissionais, os chamados "ossos do ofício"  para conquistar desonestamente uma promoção no emprego, há aqueles que são capazes de mentir da forma mais desagradável para manter suas cobiças, capazes de serem inescrupulosos em suas decisõe e atitudes, tudo para obter o alvo de sua cobiça.
Há aqueles que se dizem cristãos e em nome desta suposta cristandade promovem "Guerras Santas" mundo, esta sórdida ganância, esta cobiça desvairada do ser humano, faz com que aqueles que ela estão possuídos, se vendam, e façam do evangelho um meio de ganhar a vida, fama, riqueza, poder, desejando apenas ostentação.
A cobiça não é um mal que possui apenas cristãos, mesmos os ateus, os incrédulos são dominados por ela, governos se corrompem pela cobiça ao dinheiro, interesses particulares.

Ainda lemos em Tiago 1.15 Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte”.
Quando somos capazes de fazer qualquer coisa para ter ou ser algo, devemos ter cuidado para não estarmos sendo cobiçosos, pois isso leva ao pecado e o pecado leva a morte. Nossos desejos precisam ser saudáveis, gerados pelo Espírito de Deus, e não pela cobiça.
Se ser possuídos por demônios já não é bom, imagine então ser possuído por algo gerado dentro de você mesmo.
A cobiça leva ao desvio da fé,
I Timóteo 6:10 "
Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores".


A cobiça leva ao desejo por falsas doutrinas II Timóteo 4:3 “Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos”. E infelizmente há muitos "mestres" dispostos a falar o que muitos querem ouvir, dispostos a fazer massagem no ego das pessoas a fim de encherem suas igrejas, ainda que para isso conscientemente tenham de pregar uma falsa doutrina.
A cura da cobiça é o despreendimento !
A cura da cobiça é não fazer questão de nada, como nos ensina o Apóstolo Paulo em II Coríntios 6:10 "Entristecidos, mas sempre alegres; pobres, mas enriquecendo a muitos; nada tendo, mas possuindo tudo"".
Quer ter tudo sem ser cobiçoso? É simples não faça questão de nada.

Pr. Edmilson P. Fernandes

Christus Victor !

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Pobreza ou Provisão ?


Baseado em I Reis 17:1-6

Nos dias de hoje os servos de Deus que não possuem os bens materiais que gostariam, questionam se realmente Deus está com eles, pensam até mesmo que podem colocar Deus contra a parede se estiverem sendo fiéis nos dízimos, nas ofertas e etc. e não estiverem tendo a prosperidade que desejam.

Para muitos dos cristãos de hoje a prosperidade se tornou um fim em si mesmo, se tornou o motivo deles serem cristãos, muitos estão na igreja apenas com o objetivo de ficarem ricos, de forma que se não tiverem uma boa casa, um bom carro, emprego em uma multinacional entre outros, se sentem inferiores, chegam a sentir inveja do ímpio que mora ao lado e está prosperando, quando na verdade Deus reprova tal postura. Provérbios. 23:17.

A prosperidade hoje se tornou para alguns cristãos um aferidor de bênçãos, desta forma quando um cristão que percebe certa dificuldade na vida de outros cristãos se sente no direito de criticá-lo, e dizer até mesmo que este está sendo roubado por satanás, ou punido por Deus por causa de algum pecado. É como se a prosperidade fosse também um aferidos de espiritualidade, quanto mais espiritual mais prospero, mais bens, mais dinheiro, mais bênçãos, quanto menos espiritual menos prosperidade mais dificuldades financeiras. Esse tipo de evangelho é capitalismo puro (Ou imundo).

Lendo a história do profeta Elias, percebemos que embora ele fosse um poderoso profeta, não era um homem de posses, não tinha a metade dos bens materiais que os cristãos de hoje tanto desejam, e pede a Deus, ele tinha uma vida simples, era considerado um profeta de costumes excêntricos, e não luxuosos, vivia segundo a vontade e as ordens de Deus, indo aonde Deus o ordenava sem fazer questão de viajar nas classes executivas das melhores companhias aéreas como muitos dos pregadores de hoje fazem.

Se os cristãos de hoje que não ganham mais de um salário mínimo se sentem pobres, Elias era o que?
Ele não tinha carteira assinada, plano de saúde, assistência odontológica, Bilhete único, aposentadoria e afins.
Será que verdadeiramente se pode dizer que Elias o profeta, era pobre?

Definitivamente... Não!!! 
O profeta Elias vivia da provisão divina.

Pobre são a mentalidade e pregação de muitos pastores que ensinam as ovelhas a barganharem com Deus, a entregarem os dízimos, suas ofertas e votos em troca de alguma benção ou milagre, como se Deus fosse um mercador qualquer, ou um balconista de uma loja de bênçãos onde quem mais se sacrifica ou tem para comprar, mais pode levar, ou ser abençoado.

O profeta Elias nunca reclamou de suas finanças, pois ele era sustentado diretamente por Deus, corvos foram enviados por Deus para o sustentarem com pão e carne.
I Rs. 17.6 - Os corvos lhe traziam pela manhã pão e carne, como também pão e carne ao anoitecer; e bebia da torrente. 
De onde os corvos traziam o pão e a carne? Não sei. Mas o fato é que Deus sustentou Elias através deles. É assim que Deus faz, ele sustenta a quem ele chama, a quem ele envia, não importa qual seja a circunstância ou o local, Deus sempre provê o que precisamos a tempo e a hora.

Só quem se entrega aos cuidados de Deus descobre a grandeza de sua provisão. 

Agir como quem tem um Plano B, outra forma de prosperar, caso Deus não se manifeste logo, é desconfiar de Deus, é como agem aqueles que “acendem uma vela para Deus e outra para o diabo”.

Aquele que crê em Deus e em sua provisão não tem medo de viver no deserto, ele crê que mesmo ali o Senhor proverá o seu sustento. Certas situações geram medo, incertezas e dúvidas no ser humano, e são nestas situações que mais percebemos a provisão de Deus, quando não vacilamos na fé, e na certeza da provisão divina. Embora seja o lugar que os cristãos mais temem, o deserto é o melhor lugar para se perceber a provisão divina, exatamente por ser o lugar mais improvável, estes são os lugares, as situações onde mais se pode viver o melhor de Deus.

O deserto não apenas lugar de escassez, ou de provações, é também o lugar de provisão.

Ora o grande profeta Elias foi enviado à casa de uma viúva, e chegando lá foi o primeiro a comer da última comida que ela tinha em sua casa, que serviria para alimentar a ela e seu filho antes de morrerem, e realmente naquele momento crucial de sua vida poderia mesmo ter morrido, se não acreditasse que Deus manifestaria sua provisão através do profeta Elias, este por sua vez poderia ter se recusado a ir até ela se pensasse como muitos dos “profetas” de hoje...
Eu profeta do Senhor me aproveitar de uma pobre viúva? Jamais!
O profeta ou o cristão que assim pensasse no lugar de Elias, jamais veria a abundância que se manifestou dentro daquela casa. Deus já tinha antecipadamente ordenado aquela viúva que compartilhasse seu alimento com Elias, era só uma questão de tempo até Elias chegar a ela e ver o manifestar da provisão divina Deus já havia programado tudo mas Elias só veria isso se cresse, e ele creu. E assim acontece conosco ainda hoje.
A provisão divina é surpreendente! Mas só quem se entrega a ela é que sente.

Pr. Edmilson P. Fernandes
Christus Victor!

Convergência Reinista 2018