Pular para o conteúdo principal

Fundação




Nascido em Irupi, pequeno vilarejo no interior do Espírito Santo, Cecílio Carvalho Fernandes foi para o Rio de Janeiro ainda jovem, onde conheceu a boemia. Aos 25 anos converteu-se ao Evangelho em um culto ao ar livre promovido por membros da Assembléia de Deus de Alcântara, São Gonçalo. Pouco tempo depois, já estava pregando. Dono de duas sapatarias, renunciou a tudo para dedicar-se inteiramente ao ministério.

Intregou-se à Casa da Bênção de Deus, da qual se tornou vice-presidente mundial, e líder regional. Um dos pioneiros na realização de grandes cruzadas no Brasil, lotou muitos estádios e praças públicas, entre eles o Maracanãzinho, o ginásio do Olaria, a Praça dos Pacificadores (D. Caxias), a dos Patriarcas (Madureira), Praça XV e a Cinelândia (Centro do Rio). Promoveu também muitas passeatas em favor da Paz Mundial durante a época da Guerra Fria. Uma dessas passeatas aconteceu durante a visita do Papa ao Brasil. Cerca de 25 mil pessoas marcharam entre a Praça Seca e o bairro de Quintino. Em outra passeata, cerca de oito mil pessoas sairam pela madrugada na Av. Rio Branco munidas de tochas acesas pedindo paz para cidade do Rio.


Cecílio Carvalho Fernandes era um apaixonado pelas almas. Promoveu vários megabatismos às margens do Rio Guandu. No maior deles cerca de cinco mil pessoas foram batizadas, e quarenta mil participaram de uma Santa Ceia ao ar livre. Uma verdadeira “cidade” foi montada às margens do Rio, chamando a atenção dos principais jornais do Estado do RJ. Uma espécie de Woodstock cristão.


Em 1991, depois de liderar a CBD por dezenove anos, abrindo cerca de 400 congregações no Rio, e de ter sofrido duas paradas cardíacas, aceitou o desafio de começar um novo ministério. Juntamente com sua família, fundou a Missão Apostólica Mundial, que mais tarde passou a se chamar REINA ( Rede Episcopal de Igrejas da Nação Apostólica ).

Foi promovido à glória em 11 de Abril de 2001, deixando um extraordinário legado de amor à causa do Reino de Deus.






A REINA hoje é liderada pelo Bispo Primaz + Hermes C. Fernandes, Hermes Carvalho Fernandes - Pensador, ativista, conferencista, autor, doutor em Escatologia e em Ciência da Religião, presidente do colégio episcopal da REINA-Igreja do Futuro, bispo consagrado pela International Christian Communion (comunhão que reúne bispos de tradição anglicana/episcopal dos cinco continentes), fundador do Projeto Social Tesouro Escondido, e do Instituto Defensores do Futuro. Resumindo, um pecador salvo pela graça e um sonhador incurável, que acredita no futuro promissor da humanidade, e que deseja deixar para os filhos, um mundo melhor do que o recebido pelos pais. Depois de morar com a família em Lake Mary, Florida, retornou ao Brasil em 2011, e tem estado à frente da igreja Reina no Engenho Novo, onde prega aos domingos, 8:30h e 19h, às segundas 19h, e às quartas e sextas 19:30h. na Rua Visconde de Santa Cruz, 226, ao lado do Hospital Vital.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Barganha X Propósito

Quase sempre que se fala em votos, ou propósitos, pensa-se em dinheiro! Fica a impressão de uma barganha permitida entre Deus e o homem.
Um dos textos mais usados para falar sobre propósito é este:
Gênesis 28: 20-22 "Fez também Jacó um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta jornada que empreendo, e me der pão para comer e roupa que me vista, de maneira que eu volte em paz para a casa de meu pai, então, o SENHOR será o meu Deus; e a pedra, que erigi por coluna, será a Casa de Deus; e, de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dízimo".
Será que Jacó fez uma barganha com Deus quando prometeu dar o dízimo?
CLARO QUE NÃO! 
Ele fez um propósito


Barganhar é o mesmo que trocar, e propósito é uma grande vontade de realizar e/ou alcançar alguma coisa. Em uma barganha  não há preocupação entre as partes quanto a intenção da troca, e sim em não sair perdendo, portanto a troca precisa agradar todos os lados. A barganha em hipótese alguma agrada a Deus pois, não há co…

A espada de Deus está ao seu favor ou contra você?

Quando o Senhor se torna adversário de um profeta. Números 22, 24
                Lá estava Balaão junto ao rio Eufrates quando mensageiros enviados por Balaque rei dos moabitas; rogaram-lhe segundo as palavras de seu rei, que Balaão fosse com eles para amaldiçoar o povo de Israel que vinha do Egito e era muito numeroso e acampara defronte de as suas terras causando medo em todo o povo. Balaque acreditava que como profeta o que Balaão amaldiçoasse seria amaldiçoado, e o que Balaão abençoasse seria abençoado, então desejou que Balaão profetizasse em seu favor e dos moabitas para que guerreassem contra os Israelitas e vencessem esta guerra. E enviou insistentemente mensageiros para trazerem Balaão ao seu encontro.                 Balaque comprometeu-se a honrá-lo grandemente, e Balaão recusou a oferta mesmo que esta fosse a casa do rei cheia de prata e ouro, e consultando ao SENHOR sobre o que fazer, a ordem foi para Balaão ir com os mensageiros caso eles voltassem para chamá-lo, e pela ma…

500 Anos da Reforma Protestante

"... Mas o justo viverá pela fé..."
Hebreus 10:38

Jesus sendo justo pagou a sentença de morte que os injustos mereciam pagar, logo; ele tem o poder de declarar justos aqueles por quem ele morreu.
A fé no sacrifício de Cristo na cruz, para nos justificar, é que nos torna justos, e não os nossos sacrifícios, nossas obras mostram que nossa fé não é morta, porém não são capazes de nos justificar, e nem tem poder de salvar.
Uma vez justificados pela fé, por esta mesma fé devemos viver, afinal escapamos da morte por que Cristo a suportou em nosso lugar, portanto a vida  da qual agora desfrutamos, só é possível por que Jesus deu a dele em lugar da nossa.
Só o amor é capaz de tal ato, morrer pelo culpado, sendo inocente, reconciliando o homem com Deus e lhe permitindo viver uma nova vida, começar de novo. Nossas obras agora não visam o que podemos conquistar, mas apontar para aquele que nos deu futuro, e cheio de graça nos abrigou em seu reino.
Abracemos a fé sem retrocedermos, pois as…