Pular para o conteúdo principal

Barganha X Propósito



Quase sempre que se fala em votos, ou propósitos, pensa-se em dinheiro! Fica a impressão de uma barganha permitida entre Deus e o homem.

Um dos textos mais usados para falar sobre propósito é este:

Gênesis 28: 20-22   "Fez também Jacó um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta jornada que empreendo, e me der pão para comer e roupa que me vista, de maneira que eu volte em paz para a casa de meu pai, então, o SENHOR será o meu Deus; e a pedra, que erigi por coluna, será a Casa de Deus; e, de tudo quanto me concederes, certamente eu te darei o dízimo".

Será que Jacó fez uma barganha com Deus quando prometeu dar o dízimo?

CLARO QUE NÃO! 
Ele fez um propósito


Barganhar é o mesmo que trocar, e propósito é uma grande vontade de realizar e/ou alcançar alguma coisa.
Em uma barganha  não há preocupação entre as partes quanto a intenção da troca, e sim em não sair perdendo, portanto a troca precisa agradar todos os lados. A barganha em hipótese alguma agrada a Deus pois, não há coisa alguma que possamos lhe oferecer a qual ele não tenha, logo, ele não precisa de barganhas.
Já o propósito, aponta para união entre vontade e trabalho de maneira indissociável.

Não devemos tentar barganhar com Deus mas devemos sim ter propósitos, e principalmente buscar conhecer os propósitos de Deus para nossa vida.
É sob este aspecto que falamos de propósito.

No texto base desta reflexão, percebemos princípios que diferenciam categoricamente a barganha do propósito.

Vejamos:

Jacó saiu de casa com um propósito.
Jacó não saiu de casa loucamente, ele foi orientado por seu pai, e por mais que tudo tenha acontecido repentinamente, ao lermos com atenção, percebemos que esta saída de Jacó era providência divina.
O fato de Deus estar no controle de tudo, não nos exime da responsabilidade de fazer a coisa certa, e para tanto é preciso haver total acordo entre a vontade de Deus e nossas atitudes. 

Deus precisa estar com você no desenrolar dos seus propósitos.
"...Se Deus for comigo..."
Todo esforço pelo caminho pode ser em vão se Deus não estiver com você.

Peça o que realmente precisa 
"... e me guardar nesta jornada que empreendo, e me der pão para comer e roupa que me vista..."
Jacó não estava preocupado em ostentar nada, portanto seu pedido a Deus foi para ter suas necessidades supridas, enquanto ele prosseguia no seu propósito.
Um propósito com objetivo de mostrar ao mundo o que e quanto você tem, jamais será agradável Deus, ao invés disso peça mais a Deus com o propósito de abençoar a muitos.
Não devemos confundir testemunho, a diferença é que testemunho aponta para a glória de Deus, já a ostentação aponta para a vaidade humana.
Deus não deseja que sejamos egocêntricos, egoístas, ele se alegra quando compartilhamos, quanto mais você reparte, mais Deus lhe concede, pois você se tornou um canal de benção para outras pessoas, elas são abençoadas através do que Deus dá a você.

Missão cumprida.
"... de maneira que eu volte em paz para a casa de meu pai..."
Jacó saiu da casa de seu pai bem orientado, e queria voltar tendo cumprido sua tarefa.
Viemos a este mundo com um propósito presenteado por Deus, e não nada melhor que a sensação de dever cumprido. O próprio Jesus, disse ao se assunto aos céus: "... está consumado...", ou seja, "Missão cumprida". Que cada um de nós possa chegar diante de Deus com a mesma certeza.

Mas antes disso.... Vejamos o que aconteceu...

Leiamos Gênesis 28: 12 - 15
"E sonhou: Eis posta na terra uma escada cujo topo atingia o céu; e os anjos de Deus subiam e desciam por ela. Perto dele estava o SENHOR e lhe disse: Eu sou o SENHOR, Deus de Abraão, teu pai, e Deus de Isaque. A terra em que agora estás deitado, eu ta darei, a ti e à tua descendência.  A tua descendência será como o pó da terra; estender-te-ás para o Ocidente e para o Oriente, para o Norte e para o Sul. Em ti e na tua descendência serão abençoadas todas as famílias da terra. Eis que eu estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei voltar a esta terra, porque te não desampararei, até cumprir eu aquilo que te hei referido".

Este texto deixa claro o propósito de Deus para Jacó.

Deus permitiu que toda uma situação acontecesse para cumprir sua promessa em Jacó, Deus estava colocando Jacó na rota da provisão, Jacó teve tempo para refletir pelo caminho a fora, e Deus lhe fez conhecer seus propósitos, e Jacó se submeteu a eles..

De nada adianta querer conhecer os propósitos de Deus, e insistir em outra coisa, ainda que esta se realize e te faça feliz de alguma maneira, você estará fora da vontade de Deus neste sentido.

Deus estava cumprindo em Jacó uma promessa feita a Abraão, mas era necessário que ele fosse despertado, e que seu caráter fosse mudado, o Jacó que se deitou para dormir naquele fazendo uma pedra de travesseiro, era um Jacó trapaceiro como é o significado de seu próprio nome, mas o Jacó que acordou era outro.

Não podemos esquecer que Deus tem o propósito de nos aperfeiçoar até sermos iguais a Cristo ( João. 17:23 ).Deus permite que enfrentemos certas situações, para que elas sejam como ferramentas que aperfeiçoarão, nosso caráter, nossas ações, escolhas, decisões e etc.

Detalhe interessante:

Houve o momento em que Jacó deitou sua cabeça numa pedra, a Bíblia apresenta a pedra como um símbolo de Cristo, e assim podemos dizer que quando Jacó repousou sua cabeça em Cristo ele teve um sonho totalmente de acordo com os propósitos de Deus.


A cabeça de Jacó deitada na pedra, aponta para o centro de comando do homem, a cabeça, ou seja, quando deixamos Cristo nos orientar em nossas escolhas, decisões, ações e etc.aí sim teremos condições de realizar e viver coisas vindas do céu, como Jacó viu em seu sonho.

Quando você descansa em Cristo, ou seja, se lança de vez na dependência de Deus, abre mão do controle da situação, se submete ao propósito de Deus, ele lhe permite conhece-lo e sentir-se seguro para concluir a jornada.


Deus foi a Jacó incentivá-lo, reafirmando as promessas feitas a seu avô Abraão. Ele queria que Jacó concluísse o que começou, ao sair de casa rumo a casa de seu tio Labão, pois isso corroborava para a realização dos propósitos de Deus, e ele impulsionou Jacó a fazer o que cabia a ele para que tudo acontecesse

Todos temos sonhos, mas nem sempre são conforme os propósitos de Deus, portanto o risco de nos frustarmos é imenso, mas aqueles que repousam no Senhor, e se entregam os seus cuidados, Deus lhes dá um sonho que ele mesmo fará questão de realizar.

Quando vivemos em conformidade com os propósitos de Deus, ele faz questão de fazer com que sejamos bem sucedidos.
Alto lá...
...Ser bem-sucedido, não significa realizar tudo que se quer, e sim servir a um propósito maior que a própria vida. Repare se muitos dos demais propósitos não estão ligados a satisfação humana, a soberba da vida. Já os propósitos de Deus, apontam para ele em primeiro lugar e para o bem do nosso próximo.

Aqueles que conhecem a Deus sentem alegria no bem-estar do outro, e buscam proporcionar isso com prazer.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A espada de Deus está ao seu favor ou contra você?

Quando o Senhor se torna adversário de um profeta. Números 22, 24
                Lá estava Balaão junto ao rio Eufrates quando mensageiros enviados por Balaque rei dos moabitas; rogaram-lhe segundo as palavras de seu rei, que Balaão fosse com eles para amaldiçoar o povo de Israel que vinha do Egito e era muito numeroso e acampara defronte de as suas terras causando medo em todo o povo. Balaque acreditava que como profeta o que Balaão amaldiçoasse seria amaldiçoado, e o que Balaão abençoasse seria abençoado, então desejou que Balaão profetizasse em seu favor e dos moabitas para que guerreassem contra os Israelitas e vencessem esta guerra. E enviou insistentemente mensageiros para trazerem Balaão ao seu encontro.                 Balaque comprometeu-se a honrá-lo grandemente, e Balaão recusou a oferta mesmo que esta fosse a casa do rei cheia de prata e ouro, e consultando ao SENHOR sobre o que fazer, a ordem foi para Balaão ir com os mensageiros caso eles voltassem para chamá-lo, e pela ma…

500 Anos da Reforma Protestante

"... Mas o justo viverá pela fé..."
Hebreus 10:38

Jesus sendo justo pagou a sentença de morte que os injustos mereciam pagar, logo; ele tem o poder de declarar justos aqueles por quem ele morreu.
A fé no sacrifício de Cristo na cruz, para nos justificar, é que nos torna justos, e não os nossos sacrifícios, nossas obras mostram que nossa fé não é morta, porém não são capazes de nos justificar, e nem tem poder de salvar.
Uma vez justificados pela fé, por esta mesma fé devemos viver, afinal escapamos da morte por que Cristo a suportou em nosso lugar, portanto a vida  da qual agora desfrutamos, só é possível por que Jesus deu a dele em lugar da nossa.
Só o amor é capaz de tal ato, morrer pelo culpado, sendo inocente, reconciliando o homem com Deus e lhe permitindo viver uma nova vida, começar de novo. Nossas obras agora não visam o que podemos conquistar, mas apontar para aquele que nos deu futuro, e cheio de graça nos abrigou em seu reino.
Abracemos a fé sem retrocedermos, pois as…